Cuidar de Você 18 de Agosto de 2017

Você corre sérios riscos de desenvolver a obesidade


A obesidade aumentou 60% na última década entre os brasileiros, segundo estudo realizado pelo Ministério da Saúde. Uma das causas, em sua maioria, é o péssimo hábito alimentar, atrelado à ausência de atividades físicas.

Homem se alongando na rua

Trabalho, faculdade, filhos e trânsito fazem a rotina dos brasileiros ser sempre muito agitada. Essa realidade pode acarretar graves problemas de saúde, um deles, a obesidade.

Tipos de obesidade no Brasil

Além de a obesidade ser uma doença de risco, ela também pode desencadear outras doenças crônicas já conhecidas. Quanto maior o excesso de peso e o grau de obesidade, maior será o risco de desenvolver outras doenças associadas, menor qualidade de vida e maior risco de mortalidade. Esse transtorno pode ser definido em três tipos:
 

  1. Obesidade grau I: quando o valor de Índice de Massa Corporal (IMC) é em torno de 30 a 34,9 Kg/m², apresentando risco moderado para outras doenças crônicas e cardiovasculares.
  2.  

  3. Obesidade grau II: quando o valor de IMC é em torno de 35 a 39,9 Kg/m², apresentando risco grave para outras doenças crônicas e cardiovasculares.
  4.  

  5. Obesidade grau III: quando o valor de IMC é maior ou igual a 40 Kg/m², apresentando risco muito grave para outras doenças crônicas e cardiovasculares.

Como prevenir a obesidade

A nutricionista Camilla Dantas e o profissional de educação física, Abel Rodrigues, ambos da Medicina Preventiva da Unimed Fortaleza, em entrevista para esta matéria, alertaram sobre os riscos da obesidade, que não se resumem apenas a quilos extras na balança, mas a implicações sociais; impactos psicológicos, como maior propensão para baixa autoestima; depressão e transtornos alimentares.

Unimed Fortaleza – O que pode desenvolver a obesidade?

Camilla Dantas: A obesidade é também considerada uma doença crônica e possui múltiplas causas, dentre elas o fator genético que influencia em torno de 33% para o peso do corpo; ambiental (estilo de vida, alimentação inadequada, sedentarismo); uso de certos medicamentos em longo prazo, como corticóides; e padrões familiares sócio culturais.

Unimed Fortaleza – Como posso saber se tenho obesidade?

Camilla Dantas: A obesidade, e até mesmo o sobrepeso, é perceptível visualmente. No entanto, existem alguns parâmetros para avaliar o estado nutricional e diagnosticar o excesso de peso. As medidas antropométricas de peso, altura, dobras cutâneas, análise de bioimpedância e circunferência abdominal são utilizadas para realizar o diagnóstico do estado nutricional.

O índice de massa corporal é um dos parâmetros que avalia o estado nutricional, utilizando dados de peso e altura. Para calcular o IMC é necessário dividir o peso pela altura ao quadrado (P/A²). A tabela abaixo mostra o diagnóstico nutricional conforme os valores de IMC.

Tabela de classificação de peso pelo IMC

*(ABESO, 2010)

A medida da circunferência abdominal avalia o conteúdo de gordura visceral e se associa muito à gordura corporal total. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece como ponto de corte para risco cardiovascular, a medida de circunferência abdominal igual ou superior a 94 cm em homens e 80 cm em mulheres.

Para obter um resultado mais preciso, deve-se fazer uma avaliação completa, utilizando todos os parâmetros e não avaliar isoladamente.

Dúvidas sobre obesidade infantil?

Unimed Fortaleza – Qual o tipo de tratamento para a obesidade?

Camilla Dantas: O tratamento da obesidade envolve primordialmente mudanças no estilo de vida e acompanhamento multidisciplinar. É necessário um tratamento dietoterápico, com abordagem em uma nutrição consciente, terapia cognitiva comportamental e atividade física regular. Em casos específicos há necessidade de terapia farmacológica e cirúrgica. No entanto, mesmo nos casos em que necessite do uso de medicamentos ou cirurgia, se não houver mudança na qualidade alimentar, nível de exercício físico e fortalecimento psíquico, não haverá resultados positivos em longo prazo.

Conheça a história de quem eliminou 13kg em 4 meses

Unimed Fortaleza – Quais exercícios físicos são recomendados para quem tem obesidade?

Abel Rodrigues: Os exercícios mais indicados são os aeróbicos de média ou longa duração e que envolvem grandes grupos musculares, pois apresentam um gasto calórico significativo. Caminhadas, hidroginástica, ginástica e dança são os mais recomendados. Musculação também é muito importante, pois aumentar a massa magra fortalecendo os músculos tem um impacto significativo no aumento do metabolismo, servindo também de proteção para as articulações.

Unimed Fortaleza – No caso da alimentação, quais as mudanças necessárias para as pessoas que têm obesidade?

Camilla Dantas: É importante ter em mente que as mudanças na alimentação devem ser permanentes, ou seja, por toda vida. Realizar dietas muito restritivas, artificiais e rígidas não são sustentáveis em longo prazo, favorecendo o reganho de peso, desajustes metabólicos e o indesejável efeito sanfona. Deve-se focar em reeducação alimentar, inclusão de comportamentos saudáveis (comer à mesa, preferencialmente em família, sem distrações, com tempo, sem pressa e atentado para a mastigação lenta), melhorar a qualidade alimentar, preferindo opções naturais, como frutas, legumes, hortaliças, grãos e cereais integrais e limitando o consumo de alimentos industrializados, que são ricos em açúcares, gorduras e outros componentes anti nutricionais.

Veja um bate papo sobre os perigos das dietas da moda

Unimed Fortaleza – Quais os outros tipos de doença que podem ser acarretadas com a obesidade?

Camila Dantas: A obesidade pode acarretar: diabetes, hipertensão, dislipidemias (alteração dos níveis de gorduras sanguíneos), problemas articulares e coronarianos, esteatose hepática (gordura no fígado), apnéia do sono, infarto, AVC, dentre outros.

Se você se encaixa em um dos itens citados durante a entrevista, recomendamos que busque ajuda médica ou participe de grupos que auxiliam no tratamento. A obesidade pode ser revertida quando tratada.

Mudando hábitos

No processo de reeducação alimentar não há restrição de alimentos específicos, no entanto é necessário limitar a quantidade e frequência dos que são de alguma forma, mais prejudiciais. Outro ponto que é necessário trabalhar é a ansiedade, pois muitos recorrem à comida.

O alimento torna-se um refúgio para estados de humor negativos, havendo uma descompensação interna do que realmente é fome física e fome emocional. O ideal é sair do foco da comida e tentar fazer outras atividades como ler um livro, fazer uma caminhada, conversar com alguém, meditar, dentre outras de agrado pessoal.

Considerando que a reeducação alimentar é um grande passo para evitar ou tratar a obesidade, veja como praticar a Reeducação Alimentar Familiar. No entanto, o acompanhamento profissional é tão importante quanto praticar essas mudanças por conta própria.

Banner clicável de solicitação de proposta com a imagem de mãe e filha se divertindo na cozinha

Conheça a Medicina Preventiva

Sabendo que todo cuidado com a saúde é essencial, a Unimed Fortaleza dispõe da Medicina Preventiva, oferecendo serviços gratuitos para clientes e ações educativas, entre grupos e oficinas, para a prevenção de doenças e melhorias à saúde.

Você pode fazer parte dessa ação, para assim, alcançar a qualidade de vida necessária que você precisa para realizar todos os seus planos. Você sabia que existem grupos de apoio para quem tem sobrepeso? Muitas pessoas já mudaram de vida. Faça parte também e transforme sua rotina!

Conheça o Grupo Repensar

Voltado para clientes Unimed Fortaleza com quadro de obesidade grau 2 ou 3 (IMC >=35), o grupo oferece apoio e tratamento através de sessões presenciais semanais conduzidas por uma equipe interdisciplinar formada por médicos, nutricionistas e psicólogos.

Para participar, basta acessar a página da Medicina Preventiva no Portal da Unimed Fortaleza e preencher o formulário, para ser avaliado e direcionado para um dos grupos. Saiba mais clicando no botão abaixo:

Participe do Grupo Repensar

Rodapé da página.