Cuidar de Você 05 de Julho de 2018

10 Causas e 7 soluções práticas para a rotatividade de funcionários


Você considera a rotatividade de funcionários um indicador importante para a sua empresa? Neste post, você vai saber as principais causas de turnover e o que fazer para diminuir ou manter esse índice sob controle.

Imagem de um funcionários assinando contrato de trabalho em alusão à rotatividade de funcionários

A rotatividade de funcionários ou turnover representa os desligamentos e as entradas de funcionários em uma organização. Os índices podem ter relação com os níveis de engajamento e felicidade do empregado no ambiente de trabalho. Situações como insatisfação com a chefia imediata, incompatibilidade com a cultura e valores do lugar, bem como a inadequação com o cargo ocupado, podem ser vetores de movimentação de pessoal. Controlar esses números, hoje, configura um fator estratégico para as companhias, uma vez que demissões e reposições implicam altos custos financeiros e de tempo.

Cientes disso, as organizações têm adotado algumas estratégias para controlar a rotatividade e, mais que isso, manter as pessoas felizes e produtivas no trabalho. A seguir, listamos 10 causas e efeitos da rotatividade de funcionários, além de 7 soluções possíveis para o problema.

10 Causas da rotatividade nas organizações

O salário, por si só, não retém mais talentos. Com perfis cada vez mais diversos – e multigeracionais – os profissionais de hoje estão buscando razões mais consistentes para se doarem a um trabalho – tem a ver com propósito, qualidade de vida, lideranças que inspiram e oportunidade de crescimento e desenvolvimento. Nesse contexto, é possível apontar algumas causas e problemas que influenciam o turnover.

  1. Falta de identificação do colaborador com o trabalho que realiza;
  2. Conflitos com colegas de trabalho;
  3. Desconfiança no líder;
  4. Insatisfação com o salário;
  5. Ausência de oportunidades de crescimento;
  6. Estresse e sobrecarga de trabalho;
  7. Favoritismo;
  8. Desalinhamento com as políticas e valores da organização;
  9. Falta de transparência na comunicação organizacional;
  10. Políticas de desenvolvimento insatisfatórias na organização.

Retenha talentos: saiba como construir um ambiente de trabalho saudável

10 problemas causados pela rotatividade de funcionários

  1. Clima laboral instável e baixa confiança interna;
  2. Retrabalho no treinamento e ambientação de colaboradores;
  3. Gastos de tempo e recurso com recrutamento, seleção e treinamento nas reposições de pessoas;
  4. Gastos financeiros com demissões;
  5. Ruídos sobre “corte” na organização;
  6. Desmotivação de pares nas equipes;
  7. Fragilidade nas relações entre lideres e liderados;
  8. Comprometimento da reputação da empresa como um bom lugar para trabalhar;
  9. Desmotivação das equipes;
  10. Comentários indesejáveis de ex-colaboradores nas redes sociais da organização.

O que fazer para combater a rotatividade de funcionários?

O velho ditado que prevenir é melhor que remediar também cabe nesse contexto. Antes que o colaborador se torne um “antagonista” da marca, ou mesmo antes de precisar se demitido, algumas medidas podem ser adotadas para prover a satisfação e engajamento do público interno – e não precisar demitir. A seguir daremos 7 soluções infalíveis para sua empresa minimizar a rotatividade de funcionários.

1. Gerar identificação com os valores e a cultura da empresa – bacana ressaltar que esse processo começa na contratação, onde as pessoas precisam de uma causa a qual se doar. Se o negócio oferecer isso para elas, o engajamento será mais provável;

2. Valorização do cliente interno – o colaborador da atualidade precisa sentir que seu trabalho é valorizado. Precisa ser reconhecido pelo bom trabalho realizado e recompensado justamente;

3. Oportunidade de desenvolvimento e crescimento – empresas que investem em capacitação e oferecem oportunidade de crescimento são mais visadas por bons profissionais, além de feedback específico sempre que possível, pois é a principal ferramenta de desenvolvimento;

4. Equilíbrio entre vida pessoal e profissional – investimentos em ações de qualidade de vida no trabalho e a rotinas mais flexíveis são diferenciais na visão das atuais gerações;

5. Relações amistosas e verdadeiras (camaradagem) – um ambiente onde as relações entre os pares são de confiança e colaboração tende a reter pessoas;

6. Liderança confiável – o líder precisa ser exemplo e inspirar confiança e admiração em seus liderados. Quando isso corre, o engajamento, a motivação e o comprometimento com os resultados é maior;

7. Remuneração justa – as políticas de remuneração precisam estar claras para o colaborador e alinhadas às práticas de mercado. Além disso, as políticas de meritocracia devem ser transparentes para todos;

Cuide dos seus colaboradores: conheça as 5 doenças relacionadas ao trabalho e como evitá-las na sua empresa

Moral da história

Investir em políticas de valorização das pessoas pode reduzir a rotatividade de funcionários e construir um clima amistoso nas organizações. Pessoas mais felizes e engajadas geram mais lucros e contribuem para a valorização da marca. Controlar a rotatividade é estratégico, cuidar dos empregados, mais ainda.

Para garantir as melhores práticas na gestão de pessoas e na gestão do clima da sua organização, atualizar-se é fundamental. Então, continue se aprofundando em nossos conteúdos exclusivos e aprovados por profissionais experientes no assunto. Que tal acessar o artigo 5 estratégias infalíveis para reduzir o absenteísmo nas empresas. Você pode aproveitar e também baixar o e-book sobre como aumentar a produtividade e reduzir o excesso de trabalho.
lia-sabadia-gptw


Conteúdo produzido em parceria com a profissional Lia Sabadia, consultora do Great Place to Work no Ceará desde 2014. Psicóloga e mestranda
 em Administração de Empresas pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Rodapé da página.