Cuidar de Você 24 de Agosto de 2017

Prós e contras da pílula anticoncepcional


A pílula anticoncepcional é um dos principais métodos adotados para evitar a gravidez. No entanto, os efeitos colaterais provocados pela ação do medicamento no corpo da mulher levantam uma série de dúvidas sobre a segurança do contraceptivo.

Imagem de um copo de água e uma cartela de pílula anticoncepcional

Se você é mulher, pelo menos em algum momento da vida, deve ter se perguntado se deveria ou não tomar a pílula anticoncepcional, certo? Em 1960 ela foi criada, com intuito de evitar a gravidez. Além desse benefício, a pílula serve para diminuir cólicas ou o fluxo intenso durante o período menstrual.

As primeiras pílulas anticoncepcionais continham dosagens de hormônios até dez vezes maiores que as atuais. Mas, mesmo as novas “pílulas” de baixas dosagens ainda despertam preocupação por seus efeitos adversos.

Pílula anticoncepcional com menor dosagem hormonal

Os anticoncepcionais são produzidos, em sua maioria, com os hormônios estrogênio e progesterona sintética. O que muda entre as pílulas é a dosagem deles. Como cada uma recebe um nome comercial, muitas vezes, você encontra diferentes nomenclaturas para o mesmo princípio ativo.
Fora isso, as reações geradas pelas misturas hormonais mudam conforme a pessoa. Assim, antes de passar em uma farmácia, converse com seu ginecologista, para que ele avalie qual é a melhor pílula para você e indique como ela deve ser tomada.

Pílula anticoncepcional é segura?

Todo medicamento deve ser usado com orientação médica. O anticoncepcional é um medicamento, por isso deve ser usado com acompanhamento por diversos motivos. O grande problema é que, como não precisa de receita médica para usar o medicamento, muita gente compra e usa quando quer. Mas há riscos em fazer ingestão de qualquer remédio de tal forma, por mais simples que ele possa ser.

Caso você queira começar a usar o anticoncepcional, procure antes o ginecologista. Ele fará uma avaliação do seu estado de saúde geral e indicará o tipo correto de pílula que você deverá tomar de acordo com a sua necessidade. Além de evitar a gravidez, o anticoncepcional também pode ser usado para tratar irregularidades do ciclo menstrual, TPM, ovários polimicrocisticos e para reposição hormonal.

Veja exercícios que ajudam a tratar dores da endometriose

Grupos de risco para o uso da pílula anticoncepcional

Os especialistas afirmam que o risco de trombose existe e está inclusive presente na bula do medicamento. No entanto, as chances de uma trombose podem ser maiores ou menores dependendo do perfil da paciente, e é por isso que é absolutamente essencial procurar um médico antes de iniciar a medicação.

Existem diversas informações que o médico deve perguntar para a paciente antes de receitar qualquer pílula anticoncepcional. É primordial saber se a mulher ou alguém da família dela tem histórico de trombose, trombose hemorroidária (hemorroida rompida ou comprimida, que deixa o sangue acumulado no ânus, formando um coágulo), aborto de repetição, se ingere pouco líquido diariamente, se tem tendência a varizes, se é uma paciente com quadros de enxaqueca crônica ou se é fumante.

Afinal, tomar ou não a pílula?

Prós

  • Fácil acesso;
  • Mais controle do período e do fluxo menstrual;
  • Tem fórmulas para todos os perfis;
  • Reduz a probabilidade de aborto espontâneo;
  • Diminui a intensidade das cólicas menstruais;
  • Ajuda a controlar a oleosidade da pele e dos cabelos.

Contras

  • Mulheres com mais de 35 anos, obesas, fumantes e sedentárias têm mais chances de desenvolver doença tromboembólica;
  • Pode haver intolerância gástrica;
  • Em algumas mulheres, pode causar redução do apetite sexual;
  • A progesterona, hormônio contido nas pílulas, pode causas retenção de líquido e inchaço;
  • Altera a coagulação do sangue, o que pode levar à formação de coágulos dentro dos vasos;
  • Pode causar dores de cabeça, enxaquecas e alterações no humor.

A escolha deve ser sempre da mulher

A escolha do método anticoncepcional deverá ser feita pela mulher, levando em conta as recomendações de seu médico. Para que a escolha seja feita sem que a saúde da mulher seja prejudicada a informação é essencial. Leia sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas. Uma pergunta frequente é se o uso do anticoncepcional contribui para o aumento de peso. Ficou curiosa? Confira esse artigo e tire as suas dúvidas!


Compartilhe nas redes sociais:
Rodapé da página.