Cuidar de Você 21 de Junho de 2017

Como exercícios físicos podem melhorar o tratamento da depressão


Já imaginou curar a depressão com um único remédio? O melhor é que a solução é fácil e pode ser de graça. Na verdade, você vai precisar de esforço, determinação, persistência e força de vontade, mas tudo valerá a pena. Esse remédio milagroso chama-se: atividade física.

Mulher com roupa de treino abrindo os braços ao ar livre

Menos medicação e mais atividade física

Uma das doenças que mais retira anos de vida saudáveis das pessoas é a depressão. Ela atinge quase 7% da população mundial (aproximadamente 400 milhões de pessoas). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2020 a doença será a mais incapacitante do mundo e a previsão é de que em 2030, a depressão representará 9,8% do total de anos de vida saudável perdidos para doenças.

A depressão e o trabalho

O impacto disto atinge a vida pessoal e profissional das pessoas, pois, em média, quem tem depressão perde cerca de oito dias de trabalho por mês, contra apenas dois da população que não tem a doença. Dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) revelam que a doença afastou mais de 1,5 mil trabalhadores no Ceará.

Para o tratamento da depressão, há grupos de apoio que oferecem alternativas para pessoas diagnósticas com a doença. A Medicina Preventiva da Unimed Fortaleza conta com o Grupo Dez, que promove orientações sobre uma alimentação equilibrada, através de programas e oficinas conduzidos por uma equipe interdisciplinar.

Segundo o profissional de educação física Abel Rodrigues, uma das ações para combater a depressão é a atividade física regular e recomendada pelo médico, pois o exercício físico produz neurotransmissores que atuam na prevenção da doença. “Para ajudar no tratamento da depressão, é importante que a atividade dê prazer e proporcione bem-estar físico e metal, melhorando a qualidade de vida da pessoa”, afirma.

Qual o tipo de atividade física ideal para combater a depressão?

O segredo do efeito benéfico da atividade física é que quando a pessoa se exercita, há liberação de um hormônio chamado endorfina (hormônio que promove a sensação de bem-estar) e da dopamina (que traz um efeito tranquilizante e analgésico). A Organização Mundial da Saúde recomenda um mínimo de 30 minutos de atividade moderada cinco vezes por semana.

Grupo de mulheres alongando ao ar livre

Que tal se exercitar ao ar livre?

A modalidade de atividade física mais indicada é aquela que traz melhor bem-estar ao praticante. Para quem quer fugir da depressão, aproveitar os espaços abertos e o contato com a natureza para se exercitar são as melhores escolhas. A prática de exercícios ao ar livre tem algumas vantagens, como economia de tempo e recursos, pois a maioria das atividades ao ar livre são gratuitas.

Caminhada ou corrida

Aproveite aquela praça mais próxima da sua casa ou faça sua corrida pela Beira Mar. Para fazer atividades em grupo, busque assessorias esportivas. A Unimed Ativa é uma opção para quem quer praticar a corrida e precisa de orientação e acompanhamento. A assessoria esportiva é aberta para clientes da Unimed Fortaleza e acontece na Beira Mar e no Shopping Iguatemi, das 6h às 7h, três vezes por semana. Para participação, é cobrada uma taxa de R$ 30,00 mensal.

Ciclismo

Andar de bike pela cidade pode trazer boas experiências. Que tal aproveitar as bicicletas compartilhadas do Bicicletar? Há estações em diversos pontos da cidade.

Aeróbico

Quem gosta de se movimentar e deseja uma vida mais ativa e saudável pode apostar em aulas de ginástica aeróbica de baixo impacto. Há grupos que oferecem o serviço de graça. Um deles é o Movimente-se, grupo com práticas de exercícios físicos que ocorre na Praça Luiza Távora, em Fortaleza, sempre às terças e quintas, das 17h às 18h.

Agora, escolha o tipo de atividade que mais combina mais com você e comece a se movimentar!

Banner clicável com a frase "Exercite-se em Fortaleza: acesse o guia gratuito". Ao fundo, a imagem de uma mulher amarrando o tênis

Com informações: http://www.paho.org/bra/ e http://www.previdencia.gov.br/

Rodapé da página.